Pages

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Aurilane Mascarenha esclarece polêmica envolvendo sua inscrição no Concurso Público de Chapadinha






Aurilane Mascarenha de Sousa (foto) enviou nota de esclarecimento ao blog do Foguinho a respeito de polêmica envolvendo sua inscrição no concurso público de Chapadinha e que teria provocado muitas especulações. O blog publica a nota na íntegra, seguida da documentação comprobatória de inscrição (ver no final do texto). 


NOTA DE ESCLARECIMENTO 


Aurilane Mascarenha de Sousa vem a público esclarecer fatos inverídicos imputados a sua pessoa através de meios de comunicação locais, em relação ao Concurso Realizado no dia 16 de Março de 2014, pelo Instituto Machado de Assis para a contratação de servidores do Município de Chapadinha. 


No dia 20 de Fevereiro do ano em curso, eu, AURILANE MASCARENHA DE SOUSA, após transferir as 14h e 26 minutos o valor de R$ 50,00 (cinquenta reais) da minha conta poupança para a minha conta corrente, realizei no mesmo valor o pagamento do boleto de cobrança nº 10493.14857 72000.200047 00010.238988 8 59810000005000 da Caixa Econômica Federal, às 14h e 28 minutos no Caixa Eletrônico do Banco do Brasil, relativo à inscrição no concurso (documentos em anexo). Todavia, na noite do dia 11 de Março, ao verificar a Lista de Inscritos para o Cargo de Auxiliar Administrativo, no site da Instituição realizadora do certame, constatei que meu nome não estava incluso nela.


Inconformada com este fato, procurei a Instituição e a Comissão realizadora do Certame e levei os comprovantes de pagamento da taxa de inscrição e do débito na minha conta, com vistas a exigir o meu direito a inscrição e reverter a situação, diante do nítido prejuízo.


A partir de informações da Instituição, descobri que tal situação não era exclusiva minha, mas que também ocorrera com outros candidatos e teria sido motivada por um erro do sistema ao importar informações. Tão verdade era isso que no início da tarde no dia 13/03 (quinta-feira), foi publicado um Aviso no site do Instituto para que fosse resolvida a minha situação e de outros candidatos com o mesmo problema. (Aviso este que foi encaminhado inclusive à Promotoria de Justiça de Chapadinha na mesma data).


Na manhã do dia do certame, a empresa informou que a situação estava regularizada, e que meu nome já estava incluso na lista de inscritos e que eu poderia ir fazer a prova, informando na ocasião o horário e local da prova, qual seja: a Escola Municipal Agostinho Ribeiro.


Desta forma, às 13h e 30 minutos do dia 16 de Março do presente ano compareci ao local indicado pela Empresa e realizei a prova na sala nº 5 da Escola acima mencionada, tendo assinado a lista de presença (que pode ser solicitada à Instituição); ressaltando ainda que na mesma sala realizaram a prova mais de 20 outras pessoas, todas de fácil identificação. Dias após, precisamente em 03 de Abril, tomei ciência de que havia sido classificada no cargo pretendido, embora logrando apenas 28ª (Vigésima oitava) colocação, porém as vagas oferecidas para o cargo pretendido são apenas 10 (dez), tendo ficando como excedente distante e de improvável chamamento.


Fica claro, por tudo exposto acima, que JAMAIS houve qualquer ato irregular na minha inscrição, bem como na aplicação da prova, mas ao revés, participei como qualquer outra pessoa do Concurso, embora tenha tido um problema que nem ao menos foi exclusivo meu, mas jamais tive benefício algum por ocupar cargo na Prefeitura Municipal de Chapadinha, como querem fazer crer de maneira leviana alguns meios de comunicação. 


Coloco-me à disposição de todos para quaisquer esclarecimentos. 

Att,

Aurilane Mascarenha de Sousa. 







Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário