Pages

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

PREFEITA DE CHAPADINHA PRETENDE PAGAR SALÁRIOS DE NOVOS FUNCIONÁRIOS COM DESCONTOS NA FOLHA DE PAGAMENTO DA GUARDA MUNICIPAL





Os funcionários públicos de Chapadinha que se segurem, afinal de Competência Administrativa mesmo o atual governo só demonstra quando o assunto é perseguir funcionários ou tirar os poucos direitos que estes conseguiram depois de anos de muita luta sindical e suor.


Em minha pouca vida política, desconheço um prefeito que tenha se empenhado tanto em buscar brechas legais para prejudicar os funcionários públicos sob a alegação esdrúxula de falta de verbas na prefeitura. Prefeitura essa que vai "torrar" mais de 300 mil só com serviços de buffet. 





Abaixo o triste relato de um GCM sobre uma suposta reunião que teria acontecido no gabinete da prefeita Belezinha. Leia com atenção e tire suas próprias conclusões.


"Ontem por volta das 19 horas os integrantes da guarda municipal de chapadinha foram convocados as pressas para uma reunião no gabinete da prefeita Belezinha, a pretexto de que iriam discutir as ações para o período do carnaval. Mas ao chegarem veio a rela intenção da gestora que como sempre utilizou-se de seus fantoches como mensageiros de suas sentenças. 


A princípio o então secretário de administração informou que um dos motivos da reunião era o fato do hospital Antonio Pontes de Aguiar está precisando de um serviço mais intenso no período do carnaval e para isso foi elaborado uma relação contendo o nome de dez integrantes para serem remanejados para o referido hospital e que estes seriam submetidos a uma escala de 24 horas por 96 horas e queriam que os interessados se apresentassem voluntariamente. 


Após alguns segundos de silêncio o senhor secretário apresentou uma lista com o nome dos contemplados, dentre estes houve seis recusas e novos voluntários, sendo que estes estavam lotados em escolas, por livre e espontânea indicação do senhor comandante, foi ai então que o verdadeiro idealizador de tal “sentença” se manifestou em alto tom:” já temos uma relação dos que irão trabalhar no HAPA, a nível de experiência e estas vagas não estão abertas ao pessoal das escolas”, disse o senhor Pacheco. 


Neste momento o controlador interviu dando a apunhalada final, dizendo que tais modificações nos serviços da guarda municipal faziam parte de uma reestruturação do quadro de servidores da prefeitura e que dentro dessa reestruturação também estava sendo estudada a redução da carga horária dos guardas municipais para 30 horas semanais e somente até às 22 horas, sendo que desta forma seria retirado o adicional noturno. 


Segundo o mesmo esta foi uma forma que a senhora prefeita encontrou para resguardar a integridade física dos guardas municipais que estão expostos ao risco neste horário. 


O Secretário de administração completou dizendo que a prefeitura futuramente estaria recebendo novos funcionários como exemplo citou os agentes de trânsitos que iriam assumir uma das funções dos guardas municipais que é atuar no trânsito. E diante disso precisaria complementar financeiramente a folha “não que esses adicionais vão pagar a folha dos agentes de trânsito mais já é uma ajuda”. 


Revoltado com tais atitudes um dos integrantes levantou-se e questionou o porquê de a prefeita convocar uma reunião em seu nome e não estar presente e o ressaltou que cerca de 70% da instituição votou nela e não para depois de um ano de mandato terem perdas salariais por falta de recursos na prefeitura como alegou o senhor secretário".


Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário