Pages

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Perseguição da Prefeitura Contra Vereador Eduardo Sá Pode Inviabilizar Vinda do Grupo Mateus a Chapadinha

Placa no Terreno do Grupo Mateus 

Uma placa colocada em um terreno situado às margens da BR 222, anunciando a desapropriação do imóvel supostamente para a construção da futura Rodoviária do município, cumpre uma ameaça feita pelo secretário de obras Aluísio Santos contra o vereador de oposição Eduardo Sá (PRTB).
Sem que Eduardo Sá tenha sido notificado ou previamente informado por qualquer meio colocaram uma placa de desapropriação em um terreno de propriedade do vereador e do grupo Mateus.
Cumprindo Ameaça
No final do mês de outubro, em entrevista concedida à rádio Cultura, o secretário Aluísio, fazendo referência a discurso de Eduardo Sá sobre desapropriações da prefeitura, ameaçou de forma clara tomar terreno do vereador. “O Eduardo Sá ele tá se reclamando por terreno A, terreno B, que tá sendo desapropriado, mas é bom ele deixar pra chorar no momento em que a gente for desapropriar o terreno dele pra fazer a rodoviária, isso ai é uma coisa que vai acontecer”, ameaçou Aluísio.
Documento do Terreno Vendido ao Mateus 

Mateus Comprou Terreno por 200 mil reais

Desapropriação Atinge Grupo Mateus
Como Eduardo Sá vendeu parte de seu terreno em 15 de fevereiro de 2013, para o grupo Mateus e a desapropriação inclui a área onde a empresa líder do setor de supermercados no Maranhão pretende instalar o Mix Mateus de Chapadinha, a ação da prefeitura contra Eduardo Sá pode inviabilizar o empreendimento.
De acordo com Eduardo Sá a placa que anuncia a desapropriação está colocada dentro do terreno que hoje pertence ao grupo Mateus. “Em fevereiro vendi parte do meu imóvel ao Mateus, cerca de 20 metros ao lado, e foi justamente no terreno do Mateus que a prefeitura colocou a placa”, disse o vereador.
Eduardo Sá declarou ainda que o terreno que tem em sua propriedade é menor que o indicado pela placa e para atingir os 15 mil metros quadrados terá que pegar a parte que hoje pertence ao Mateus. Sá disse que já esperava sofrer algum tipo de perseguição porque isso foi anunciado pelo secretário Aluísio, mas se declarou surpreso com a inclusão do terreno do grupo Mateus no episódio. “De certa forma eu já estava preparado para enfrentar essa perseguição, mas lamento que a vingança da prefeita contra mim chegue ao absurdo de atingir quem não tem nada com a política de Chapadinha e que isso possa impedir a vinda de um grupo empresarial que poderia gerar emprego, renda e ajudar a desenvolver o município”, lamentou Eduardo Sá.



Fotos do Primeiro Terreno Onde a Prefeitura Iria Construir Rodoviária - Vila Isamara 

Mudando o Local
O vereador oposicionista demonstra que a prefeitura teria escolhido outro terreno na mesma rodovia, só que em frente à cerâmica do Barreto como local para construir a rodoviária e teria mudado o local com o intuito de prejudicá-lo.
Compra de Amigos e Desapropria de Adversários
Sá também lembrou que a prefeita Belezinha comprou de um amigo, pagando preço até acima do mercado, o terreno onde está sendo construído o Hospital Regional pelo governo do estado. Para um amigo e aliado político o terreno é comprado e no caso de adversário a prefeitura utiliza da desapropriação onde os terrenos ficam abaixo do preço. “De um amigo ela soube comprar o terreno e de pessoas que não votaram nela ela entra com desapropriação querendo ficar com imóveis alheios a preço de banana” protestou Sá.
Resistência
O vereador Eduardo Sá disse que já entrou em contato com seus advogados, que pretende reagir contra o que taxou de pura perseguição política e garantiu que tais manobras não irão lhe intimidar.
Outro Lado

Nossa reportagem procurou a assessoria da prefeitura que até o fechamento da matéria não havia se posicionado sobre o assunto. 

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário