Pages

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

ATENÇÃO: SINDCHAP PROMOVE SEMANA DE PROTESTOS EM CHAPADINHA

RECORDAR É VIVER!


Protestos realizados em: 22/06/2011


A semana de manifestações e protestos promovida pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Chapadinha (SINDCHAP) está a todo vapor!




A maratona de atos públicos teve início na sessão de segunda-feira (20), na Câmara Municipal. Na ocasião, cerca de 50 servidores compareceram na referida casa munidos de cartazes, megafones e "narizes de palhaço". Apesar da ausência de grande parte dos professores, o SINDCHAP, capitaneado por seu presidente, o professor Armando Araújo, mostrou, inclusive aos "desertores", que não está de brincadeira.




Apenas quatro vereadores se declararam afinados com as reivindicações da categoria: Francisca Aguiar disse não entender o porquê de tanta protelação por parte da atual prefeita (não-eleita) em pagar o abono aos educadores; e que já tentou, sem sucesso, sensibilizá-la sobre a questão. 


Emerson Aguiar disse em plenário não entender o motivo de a prefeitura estar "comprando briga" com os servidores. 


O vereador Marcelo Menezes evidenciou o fato de o município ter recursos para patrocinar eventos "pão e circo" e, no entanto, negar o pagamento do abono devido aos servidores, ocasião em que fez um apelo a todos os seu colegas para que busquem solucionar o problema junto ao executivo. E, finalmente, França Nilo, atual líder do governo na câmara, iniciou seu pronunciamento enfatizando que estava ali para defender a casa e sua bancada, para espanto geral dos presentes que esperavam mais de um vereador eleito para representar - e defender - o povo. A reação do público foi imediata e demonstrou enorme indignação com as palavras do nobre edil. Ao perceber a gafe que tinha cometido, França disse que era solidário com a causa dos manifestantes e prometeu que, na próxima sessão (segunda-feira, 27), trará informações do executivo acerca do dia do pagamento do referido abono e do valor que cada educador irá receber.



Prof. Armando
Finalizado o primeiro protesto da série, Armando Araújo, presidente do SINDCHAP, disse que os profissionais da categoria "não vão mais aceitar ser pisoteados e tratados como seres insignificantes." O presidente ressaltou, ainda, o histórico de lutas do sindicato e disse que esta nova batalha estava apenas no início. "Nós vamos fazer com que a sociedade fique do nosso lado, perceba que a educação não é feita pela prefeita, não é feita por secretários, mas sim pelos professores. Com a população do lado dos professores, a sociedade só tem a ganhar. Agora que a classe saiu do ostracismo, nós demos uma demonstração de força e conhecimento e não vamos admitir que técnico em contabilidade venha dizer que o abono não pode ser pago por isso, ou aquilo. A Lei 11.494 é bem clara: ela diz que no mínimo 60% de todo e qualquer recurso do Fundeb deve ser gasto com pagamento de pessoal (...) Eles estão se atendo a um artigo que diz que ela (Danúbia Carneiro) não é obrigada a pagar, mas também não existe nenhuma lei que proíba que ela pague. Isso é um problema político. Quem tem pretensões políticas e age dessa forma, com certeza, está pondo a corda no pescoço." - concluiu o presidente.


Prof. Jacirema
A prof. Jacirema também falou sobre o primeiro dia do movimento e sobre a (falta
de) atitude dos vereadores. "Eles (vereadores) dizem que estão apoiando a classe dos professores mas, no entanto, não estão fazendo absolutamente nada a respeito! Eu queria, desde já, como professora, pedir a meus colegas (que não compareceram na câmara) para virem reivindicar nossos direitos. Nós temos que nos unir para acabar com essa corja que está só usufruindo do dinheiro público. O vereador França disse que está lá para defender a bancada deles. Que eu saiba um vereador deve defender o povo. Os direitos do povo. Essa história de que os vereadores estão a nosso favor é só da boca pra fora, pois tenho certeza que se todos os vereadores se unissem a favor do povo, não estaria acontecendo essa bagunça aqui no município de Chapadinha." - disse a professora, visivelmente emocionada.




Ontem (2º dia) o protesto foi em frente ao prédio do Ministério Público. Além dos atos agendados (vide artigos relacionados, ao final do post), o SINDCHAP está utilizando outros meios para se fazer ouvir, como carros de som e entrevistas a algumas rádios (não "municipalizadas") locais. Em razão do feriado de Corpus Christ, o ato marcado para amanhã foi suspenso, mas a jornada deve ser retomada nesta sexta (24), em frente à Secretaria de Educação. Hoje, o manifesto ocorrerá em frente à prefeitura.




O Chapadinha Online parabeniza o SINDCHAP e todos os servidores que estão se fazendo presentes nas manifestações, pela coragem, determinação e companheirismo demonstrados nestes três primeiros dias de luta, bem como faz aqui um apelo aos educadores que ainda relutam em apoiar sua própria categoria:

Queridos mestres, ao fim desta batalha, como os Srs. almejariam ser vistos por seus filhos e alunos? Como um dos guerreiros que lutaram por seus direitos? Ou como um dos que ficaram sentados no trono de um apartamento com a boca escancarada, cheia de dentes, esperando a morte chegar??? Lembrem-se que os filhos costumam imitar os pais e os alunos, seus mestres. Pensem nisto com carinho, pois não é somente o futuro de vocês que está em jogo...

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário