Pages

domingo, 16 de dezembro de 2012

MPF diz que Prefeita e Secretária de Saúde de Chapadinha provocaram lesão ao patrimônio público.


E mais uma vez o Fórum de discussão da situação atual de Chapadinha na rede social facebook é usado como meio para fazer denúncias e transmitir a indignação contra esse governo corrupto que graças a Deus está se findando.

Mas enquanto não esse desgoverno não acaba a população sofre.


Lindberg Mendes Pessoa:
 
"Cheguei no Hospital HCC agora com meu filho doente e fiquei indignado com a situação com a qual me deparei. Um hospital repleto de crianças com vômito e diarreia que chegam a todo instante a procura de um atendimento básico que NÃO EXISTE.

A informação "PAI... MÃE... AQUI NO HOSPITAL NÃO TEM SORO, NEM PLASIL, MAS SE VOCÊ COMPRAR NÓS APLICAMOS... já faz parte da rotina, é passada pela a atendente a pessoas que não podem comprar, como eu presenciei a situação de uma senhora.

Essa situação que já ultrapassou a barreira do descaso já deveria ter chamado a atenção das AUTORIDADES COMPETENTES EM TODAS AS ESFERAS DO PODER. Mas fingir que está tudo bem DAR MENOS TRABALHO mas, em contrapartida DAR MAIS CRIANÇAS DESIDRATADAS"!!

Enquanto isso os (in)responsáveis por esta mazela deitam e dormem tranquilos...

Danúbia Carneiro e Dra. Coutinho



Ação de Improbidade Administrativa: Parte final.


Enquanto isso a Danúbia e Coutinho são condenadas pelo Ministério Público Federal a ressarcir os cofres públicos em R$ 49.021,00 (quarenta e nove mil e vinte e um reais), devido a compra de carne bovina moída e de hortaliças que foi inferior do que o montante supostamente adquirido pela prefeitura.


Mais R$ 13.223,00 devido a apuração dos auditores do DENASUS de que o município adquiriu entre os meses de janeiro e março de 2009, uma quantidade de carne de primeira, superior ao consumo das unidades hospitalares locais e que, os produtos não chegaram aos respectivos hospitais.

Mais R$ 161.296,19 devido a não comprovação da efetiva entrega dos produtos adquiridos pela prefeitura municipal.

Resultado: Danúbia Loyane Carneiro e Maria José Coutinho terão que ressarcir aos cofres público mais de 223 mil reais. Isso fora os desvios de milhares de litros de gasolina e óleo diesel.

Emerge desse relato que a conduta das requeridas, enquanto gestoras dos recursos do SUS, provocaram lesão ao patrimônio público e violaram os princípios de honestidade e lealdade que devem nortear as relações entre agentes públicos e as instituições que as vinculam incorrendo assim dos arts. 10, caput e incs. V e VII e 11, caput e inc. IV da Lei 8.429/1992 Lei de Improbidade Administrativa.
 

São Luís, 28 de maio de 2012.


JOSÉ LEITE FILHO
Procurador da República

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário